Pesquisar este blog

11 de junho de 2009

Rio das Ostras Jazz & Blues Festival:
Tendo a lua como espectadora

Fábio Pascoal - Foto: Cezar Fernandes


Por Fernanda Melonio
Direto de Rio das Ostras

Dia 10 tinha jogo do Brasil contra o Paraguai, mas mesmo assim a Cidade do Jazz & Blues, em Costazul, ficou lotada de gente que saiu da frente da tevê para prestigiar a abertura do sétimo Rio das Ostras Jazz & Blues Festival, que até o dia 14 de junho traz uma seleção dos melhores instrumentistas e intérpretes da atualidade.

Nesta noite de estréia apresentaram-se Orquestra Kuarup, Duofel (com participação de Fábio Pascoal) e Ari Borger.

A primeira atração foi a Orquestra Kuarup de Rio das Ostras. Regida pelo maestro Nando Carneiro a orquestra é formada por 25 músicos, alunos e ex-alunos do Centro de Formação Artística da Fundação Rio das Ostras de Cultura. A Orquestra Kuarup Cordas & Sopros foi uma das primeiras manifestações artísticas da cidade ensaiando em praça pública, com instrumentos doados pela comunidade, e na noite de ontem executou grandes sucessos da música popular brasileira.

Logo depois subiu ao palco o Duofel. Formado pelos violonistas Luiz Bueno e Fernando Melo em 1977, o Duofel tem seis discos gravados no Brasil, um na Alemanha e outro nos estúdios de Ornette Coleman, nos EUA. No Rio das Ostras Jazz & Blues, o duo apresentou diversas fases de sua parceria e ainda temas inéditos variando pelas sonoridades diversas e elaboradas nestes 30 anos, marca registrada da dupla, com as combinações de timbres dos violões de cordas de aço, 12 cordas, 10 cordas, 4 cordas e nylon. Luiz Bueno elogiou o calor do público local, destacando a presença de uma ilustre convidada que deu o ar de sua graça: uma enorme lua cheia enchia de ainda mais beleza a noite consagrada à celebração da arte.

O duo contou ainda com a participação especial do percussionista recifense Fábio Pascoal, filho de Hermeto Pascoal, que abusou da experimentação utilizando como instrumentos os mais variados objetos: de mordedores infantis a tampa de panela, passando por chocalhos e até mesmo uma mesa – tudo pode e deve ser batucado pelas mãos de Fábio, que levou a platéia ao delírio.

Para encerrar a noite, um dos pianistas e organistas brasileiros mais talentosos da atualidade, Ari Borger. Quando o assunto é piano & blues ou órgão Hammond B3, o nome de Ari Borger surge imediatamente. Com mais de vinte anos de estrada, é considerado pela crítica, pelo público e pelo próprio meio musical como o melhor do país, estando no mesmo nível dos grandes nomes do gênero. No Rio das Ostras Jazz & Blues, Ari Borger apresentou seu recém lançado CD AB4. Nele, Ari e seu grupo viajou por diversas raízes da música americana, que iam do blues ao soul.

Apontado pelos críticos como um dos melhores festivais do gênero no país, o Rio das Ostras Jazz & Blues Festival chega à sétima edição. A programação, que conta com artistas consagrados como Coco Montoya, Spyro Gyra e The Bad Plus, ocorrerá de 10 a 14 de junho nos palcos montados na Cidade do Jazz & Blues, em Costazul, na Praia da Tartaruga e na Lagoa do Iriry. A entrada é gratuita.


Link QuebradoLink Quebrado? Link Sem FotoPost Sem Foto?

Share on :

1 comentários/comente ...:

Amanda Y Mori disse...

Foi realmente uma noite maravilhosa...
Vc arrasou no post, exatamente isso!!!Parabens.

 
© Copyright JazzMan! 2011 - Some rights reserved | Powered by Blogger.com.
Template Design by Herdiansyah Hamzah | Published by Borneo Templates and Theme4all